Começo este texto com uma citação de São João da Cruz: “Ao dar-nos como nos deu o seu Filho, que é uma palavra sua e não tem outra, Deus disse-nos tudo de uma só vez nessa única Palavra, e não tem mais nada a dizer-nos.”

O chamado tem dois significados básicos: nomear ou fazer um convite. No sentido bíblico, eles normalmente estão interligados, alguns personagens após receberem o chamado a realizar uma obra para Deus passaram a ser chamados por outro nome, como foi o caso de Aarão, Simão e Saulo, Abraão, Pedro e Paulo após se converterem respectivamente. Ao longo de todo o antigo testamento é possível encontrar sinais concretos do chamado Deus aos homens, como vemos em Samuel, Jeremias, Isaías, Moisés e tantos outros.

Sendo a Sagrada Escritura a Palavra de Deus, tem no Verbo encarnado Jesus Cristo seu personagem principal, o Antigo testamento inteiro é uma preparação para a sua vinda e o Novo é voltado para a propagação das suas obras e da Religião por ele instituída o cristianismo. E a vida pública de Cristo é marcada pelos chamados que ele faz à mudança de vida e ao seguimento de sua Palavra, no evangelho encontramos passagens como: “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.” Mt 4,19; “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida ninguém vai ao Pai senão por mim.” Jo 14,6. Segundo o autor Jacques Philippe o chamado que Deus nos faz na criação é a sermos homens e mulheres plenos e essa plenitude da vida só pode se realizar na Pessoa de Cristo. É como nos diz o Concílio Vaticano II: “Quem segue Cristo, Homem perfeito, torna-se ele mesmo mais homem.”

O chamado que até então perseguidor dos cristãos, Saulo recebe no caminho para Damasco em Atos dos Apóstolos capítulo nove, nos mostra os efeitos da presença de Cristo e os frutos da resposta positiva ao chamado. Saulo se dirigia a cavalo como de costume nas viagens realizadas naquela época à cidade de Damasco, a fim de prender alguns cristãos, quando de repente o céu é tomado por uma forte claridade e Saulo caiu do cavalo cego e uma voz diz: “Saulo, Saulo por que me persegues?” Ao que Saulo respondeu: “Quem és, Senhor?” Em seguida ele é orientado por Cristo a ir de encontro a um cristão que o batizaria e após receber o sacramento do batismo ele voltaria a enxergar e passaria a se chamar Paulo.

É interessante vermos que na experiência de Paulo, Deus faz com que ele tenha uma vivência física que represente o que acontecia com ele no campo espiritual, ele fica cego, porque espiritualmente era cego a verdade que se apresentava diante dos seus olhos, não conseguia enxergar na pessoa de Cristo o Salvador, o Messias que era esperado por ele e por judeus de tantas gerações. Outro acontecimento fantástico é que antes de responder ao chamado que Cristo faz, Paulo pergunta: “Quem és, Senhor?” ele busca conhecer a Cristo e depois seguir a sua vontade, e quando encontra-se com Ananias recebe o sacramento do Batismo, que como a Palavra narra faz com que caiam as escamas dos olhos do apóstolo e permite que ele enxergue!

Somente a presença do Espírito Santo em nós permite que enxerguemos verdadeiramente e vivamos plenamente. Que assim como Paulo possamos ouvir e responder positivamente ao chamado de Deus, para enfim podermos dizer o que Paulo disse no terceiro capítulo de sua carta aos Filipenses: “Mas o que era pra mim lucro eu o tive como perda, por amor de Cristo. Mais ainda: tudo eu considero perda, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor. Por ele, eu perdi tudo e tudo tenho como esterco, para ganhar a Cristo.”

(Acesse o audio com a pregação completa clicando aqui)
Rodrigo Moco
Universitário, Oficina de Valores

0 comentários:

Postar um comentário