Pedro tem muito a nos ensinar. Foi, dentre os apóstolos, o primeiro junto com seu irmão André a ouvir o chamado de Jesus e não hesita ao ouvir Sua voz. Deixa tudo o que tem e segue Jesus. Viveu no círculo íntimo do Mestre, presenciou milagres, usufruía de predileção. Mas nem tudo isso fez com que Pedro se mantivesse firme, ele negou Jesus. E podemos nos perguntar: como é possível alguém que conviveu tão próximo de Jesus ser capaz de algo assim?

Não é de se espantar, mas nós, ainda hoje, fazemos a mesma experiência de Pedro. Teimamos em não seguir Jesus de perto e por isso O negamos, não queremos nos comprometer, nos decidimos com nossas palavras, mas nossas atitudes ainda se mantêm à distância. Pedro não enganou a ninguém e nós não enganamos nem a nós mesmos, muito menos aos outros.

Ao negar Jesus e Pedro lembra-se de suas palavras:
Ainda que todos te abandonem, eu não!

Pedro chora e sente o arrependimento tomar conta de si, Pedro sente vergonha. Mas a grande diferença entre Pedro e Judas é que enquanto o primeiro se arrepende, o segundo se desespera. Pedro teve a coragem de buscar o olhar de Jesus e por isso consegue levantar-se, porque encontra um olhar de misericórdia.

Após negar Jesus, Pedro volta a pescar, volta à sua vida velha, esquece-se de que não é mais Simão, que agora é Pedro. Quando não consegue pegar peixe nenhum, tira a conclusão de que longe do Mestre o vazio e a tristeza passam a fazer parte de seu cotidiano. Mas quando Pedro reconhece Jesus, todas as coisas voltam a fazer sentido. Nesse momento Jesus pergunta a Pedro se ele O ama mais que estes. Pergunta complicada essa, não pergunta se Pedro O ama mais do que ama os outros, mas se o amor que Pedro tem é maior que o amor que os outros Lhe têm. “Senhor, tu sabes tudo, sabes que te amo.”

Em nenhum momento Jesus duvida do amor de Pedro, mas o próprio Pedro é que se vê indigno desse amor. Mas ainda assim Jesus confia a Pedro uma missão: “Apascenta os meus cordeiros”. Jesus também nos confia essa missão hoje: salvar o mundo, fazer com que os que não O conhecem, passem a conhecê-lo, isso é uma prova da confiança de Deus em nós, é algo grandioso, Deus confia-nos almas.

Pedro e nós só somos capazes de receber essa missão porque não desistimos, porque somos frutos de um constante recomeçar. Não importa quantas vezes caímos, mas sim o desejo de sempre levantar.

Pedro negou Jesus, mas foi capaz de voltar atrás. Nós negamos Jesus e ainda negaremos, mas lembremo-nos que quando desistimos, o mais difícil já havia sido feito. Somente nós podemos impedir que o olhar de misericórdia de Jesus chegue ao fundo de nossas almas. Pedro foi fiel até o fim. 
Nathalia Pereira
Formada em Letras - Oficina de Valores

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns Nat, fico feliz demais em ver como Deus tem realizado maravilhas em sua vida... Rezo pela sua perseverança... Bjs Gisele

Carla Caputo disse...

Bom texto!
Ressalto a parte do recomeçar que sempre se faz presente em nossas vidas e não devemos resistir ao recomeço, devemos fazê-lo com garra e fé!

Postar um comentário