Por: André
www.papodeempreendedor.com.br

Peço desculpas pela demora, mas com este texto concluímos a série sobre consciência política falando da ação política propriamente dita. Nos textos anteriores dei alguns exemplos de ações políticas realizadas por grupos e pessoas. Agora pretendo dar uma visão mais estruturada do que seriam os três tipos de ação política: Votar, acompanhar e cobrar. Para explicar a atuação política vou tentar fazer o paralelo com a contratação de um serviço.

Quando precisamos de um serviço, sempre tentamos pesquisar aquele profissional (ou empresa) que melhor atende às nossas necessidades. Observamos fatores como preço, qualidade do serviço, prazo de entrega, etc. Quando escolhemos um candidato ou partido para votarmos fazemos o mesmo, escolhemos alguém para prestar o serviço de nos representar nas decisões políticas tomadas em nossa sociedade. Por isso o voto é tão importante e a cada ano de eleição a Justiça Eleitoral invade os meios de comunicação com informativos para nos lembrar da importância do voto.

Normalmente não damos muita importância ao ato de votar, parte pelos comerciais toscos, parte pela nossa descrença no sistema político. Porém, por mais limitado que pareça, teclar aqueles números na urna faz uma grande diferença. Através deles são escolhidas as pessoas que decidem, por exemplo, se a rua do nosso bairro será pavimentada, quanto pagaremos de imposto, qual será a nossa posição como país em relação escândalos de espionagem. Daí a importância de pesquisarmos bem o que um candidato ou partido propõem para as questões que nos são relevantes. Acredito que todos saibamos isso de cor e salteado, mas as vezes é importante lembrarmos de algumas coisas aparentemente óbvias.

Quando se contrata um serviço, como a pintura de uma parede de nossa casa, espera-se que ele seja bem feito. Esperamos que a parede pintada esteja na cor e textura desejadas e sem respingos no chão e em outras paredes e objetos. Daí a importância de acompanharmos o projeto, para ver se ele está sendo executado da forma adequada e desejada, e realizar alguma cobrança ou pedidos de mudança. Esta é a lógica por trás de acompanhar o que um político faz: avaliar se suas propostas de campanha estão sendo cumpridas e como são cumpridas, para saber se o que “contratamos” está sendo cumprido.

Um erro que podemos cometer é achar que só porque nosso candidato ou partido perdeu não possuímos responsabilidade. Porém este pensamento é equivocado. No exemplo da pintura, seria o mesmo que não avaliar o trabalho feito pelo pintor simplesmente porque ele foi escolhido por outra pessoa da família.

O que acontece quando se contrata um serviço e ele não é executado? Depende do tipo de serviço. Podemos pedir nosso dinheiro de volta, cancelar o contrato ou cobrar do fornecedor o que foi prometido. Esta última é a nossa opção quando um político ou partido não realiza o que se propôs ou toma uma ação que desagrada à população. Porém, diferentemente das outras ações políticas propostas neste texto, que podem ser realizadas individualmente ou em grupos pequenos, a cobrança de uma atitude de um político ou partido ocorre somente se esta atitude for querida por um número significante de pessoas.

Nenhum partido ou político chega ao poder em um regime democrático se não possuir o apoio de setores de uma sociedade. Daí surge a necessidade de mostrar a este político que sua atitude não é tão querida como ele pensa e que este desalinhamento trará consequências políticas para ele e para seu partido, como não conseguir a reeleição ou a eleição de um colega de partido. Acredito que está é a forma de atuação política que menos se comenta e que mais nossa sociedade precisa melhorar, porém para que ela ocorra é imprescindível algo anterior: saber quais são as transformações que desejamos para nossa sociedade e como devem ser realizadas.

Concluo com algumas sugestões práticas de como atuar nestes campos. Para escolher nossos candidatos e avaliar as propostas acho importante a conhecer as propostas de cada candidato ou partido, saber quais são os benefícios e custos, as forças e fraquezas de cada proposta e saber que “não existe almoço grátis”. É importante ter pé no chão e saber que não temos os recursos, sejam financeiros, humanos ou até mesmo tempo, para satisfazer integralmente todas as propostas.

Para fazer o acompanhamento do cumprimento das propostas é importante estarmos atento às notícias do que ocorre naquele nível de governo que nos interessa. Neste ponto existem diversos grupos e organizações que acompanham determinadas ações do estado, como associações de pais que acompanham a situação da educação em uma dada escola ou município.

Para cobrar uma ação de um político existem inúmeros meios, as manifestações que vimos recentemente foram um deles. Porém outros meios são diversas associações, que podemos fazer parte ou criar como associações de moradores, de pais, etc. e a partir do conhecimento de uma situação cobrar a melhoria a um político. Está cobrança pode ser via um abaixo assinado ou uma carta ao respectivo político, ou até um convite para vir falar pessoalmente a população. E assim demonstrar aos políticos que ignorar a situação em questão pode trazer consequências políticas graves. Outra forma de cobrar uma atitude política correta, para aqueles que julgarem pertinente, seria a atuação dentro de um partido. Encontrar um partido do qual se compartilhe os ideais e trabalhar para que ele tome uma ação visando o bem comum é uma boa chance de tentar propor melhorias a sociedade. Só lembro que a decisão de filiação a um partido é séria e deve ser muito bem ponderada antes de ser tomada. 



André da Costa

Estudante de Economia - PUC-RJ / Oficina de Valores

0 comentários:

Postar um comentário