19:16
0
Por: Thales


Imagem: Elo7

Quando se aproxima o dia 25 de dezembro, o que a gente mais ouve por aí é “Feliz Natal!”. Seja ao abastecer o carro, ao passar pelo porteiro do prédio, ou ao encontrar um conhecido pela rua, o “Feliz Natal” substitui nessa época o “muito obrigado” ou o simples “tchau”. A partir da madrugada de Natal, e até pelo menos o ano novo, nós assim cumprimentamos não só os mais próximos e queridos, mas praticamente todos a nossa volta. Durante esses dias, nas nossas reuniões em família, o “Feliz natal” está sempre presente, seja nos nossos cumprimentos aos parentes que não vemos faz tempo, seja nas nossas decorações festivas. É tempo de lembrar de quem a gente esqueceu o ano todo e ligar ou mandar um cartão ou mensagem. Não podemos deixar de desejar um “Feliz Natal”, não é mesmo?

Certamente, isto é uma prática cultural, que nós começamos a dizer ou praticar sem pensar muito no que estamos fazendo. O que significa então dizer “Feliz Natal” para alguém? Acredito que “Feliz Natal” não é uma constatação de que o Natal é feliz em geral, mas sim um desejo de que o Natal seja feliz para aquela pessoa para a qual você se dirige. Afinal de contas, uma frase mais elaborada do “Feliz Natal” é: “desejo a você um Feliz Natal e um próspero Ano Novo!”. A palavra “Natal” quer dizer “natividade”, “nascimento”. Não faz muito sentido desejar um “feliz nascimento” para quem já nasceu faz muito tempo, não é verdade? Lembro-me de que, há dois anos atrás, meu irmão nasceu bem pertinho do Natal, e eu desejava um “Feliz Natal” para aquela criança que chegava ao mundo e que começava sua vida entre nós, e este desejo era bem apropriado. Porém, na maior parte das vezes que nós desejamos “Feliz Natal” para alguém, esse alguém não é uma criança que está para nascer ou que nasceu há pouco tempo. Qual o sentido de desejarmos um “feliz nascimento”, então?

Em primeiro lugar, o “nascimento” que é comemorado no Natal, obviamente não é o nascimento de cada pessoa, mas sim de uma pessoa em particular: Jesus, filho de Maria, que nasceu em Belém mais de dois mil anos atrás. A cultura cristã e a liturgia católica celebram este acontecimento com uma grande força e grande entusiasmo. Para a religião cristã, Jesus é o filho de Deus, que veio ao mundo para cumprir a promessa de salvação que fez a seu povo, para renovar a aliança de amor entre Deus e nós e para permitir que cada pessoa individualmente tenha acesso à vida eterna. De fato, é uma data e tanto para se comemorar! Isso, porém, não responde o nosso questionamento: que sentido tem desejar para alguém um “feliz nascimento de Jesus”? Jesus já nasceu, e seu nascimento foi certamente muito feliz. Portanto, não faz muito sentido desejar felicidade para ele.

Acontece que o Natal não é apenas a simples celebração do “aniversário” de Jesus, de uma forma mais ou menos parecida de como nós celebramos o nosso aniversário. O Natal é, ao mesmo tempo, também uma atualização e um convite. Uma atualização porque acreditamos que Jesus não nasceu apenas em Belém da Judéia, mas pode nascer também em nossos corações. O Natal é celebrar o encontro entre Deus e o homem, que aconteceu naquela pequena manjedoura, mas acontece também no íntimo de cada pessoa. Jesus de Nazaré quer nascer também em mim, quer ocupar meu coração, quer trazer a boa nova, a salvação e o amor de Deus para mim, hoje, agora. É isso que estamos desejando ao dizer “Feliz Natal”. Estamos manifestando nosso desejo de que o Natal de Jesus no coração seja feliz.

Mas o Natal também é um convite. Natal também é tempo de reconciliação, de começar novamente, de repensar nossos rumos... de nova esperança! Não é só Jesus que pode nascer no Natal. Nós também somos convidados a nascer de novo com Ele! O Natal de Jesus pode ser também uma renovação, um novo começo! Quando desejamos um “Feliz Natal” isso também pode querer dizer que desejamos que o Natal represente de fato um novo nascimento. Vivemos o ano todo imersos em nossos problemas, diante de tantas situações que nos entristecem, nos amedrontam e roubam de nós a esperança de que pode ser melhor. O nosso mundo, a nossa vida, talvez seja uma noite escura, na qual estamos obrigados a viajar, sem que ninguém esteja disposto a abrir suas portas para nós. Quantas vezes nos sentimos assim? Desejar um “Feliz Natal” significa desejar que o nascimento de Jesus Cristo tenha o poder de iluminar mesmo a noite mais escura com sua estrela! É desejar uma nova vida, baseada em uma nova esperança! “Feliz Natal” é desejar que o menino Jesus possa transformar radicalmente a nossa vida da mesma forma que ele mudou o mundo com seu nascimento.


Que neste Natal esse seja realmente o nosso desejo. Que o “Feliz Natal” possa deixar de ser apenas um cumprimento, um “tchau” e possa realmente significar um desejo de que o Natal de Cristo seja feliz. Um Feliz Natal!

Thales Bittencourt
Doutorando em Filosofia (UFRJ) - Oficina de Valores

0 comentários:

Postar um comentário