20:18
0
Por: Juliana
Imagem de lobidocha.com

-Você aceita dividir a vida com essa pessoa daqui pra frente?

-Você promete ser fiel, amar e respeitar essa outra pessoa até que a morte os separe?

-Você promete dividir anseios, medos e conquistas com essa pessoa, com sua família e a família dela?

As perguntam vêm e vão, constantemente nos lembrando do que está vindo por aí. O peso das responsabilidades e decisões cai sobre nós a cada dia mais. A certeza de que é pra sempre,  e de que foi pra isso que todo o planejamento e cuidados culminaram, é palpável. Às portas do altar, só posso dizer que estou me sentindo preparada pra abraçar a missão que escolhi, ou melhor – a missão que me escolheu.

Quando conversava com um amigo há pouco tempo, eu dizia o quão nervosa e  quão ansiosa estava para o dia de meu casamento. Explicava também que,  a cada dia mais, eu julgava que a responsabilidade era tão grande que eu não me sentia capaz de controlar mais nada, portanto estava na hora de deixar nas mãos de alguém que pudesse tomar conta de realmente tudo. Ele riu e me disse: “Que bom, Juliana, assim tenho a certeza de que você sabe exatamente onde está se metendo!”

Esse alguém que é capaz de tomar conta de tudo para nós é Deus. Por isso o Jonathan e eu nos sentimos prontos pra abraçar essa missão de braços abertos, sem ressalvas, sem condições. Não sei o que vem por aí, não sei mesmo. Você que já é casado, e está lendo este texto pode estar pensando que devo me preparar mesmo; que casamento não e assim não, e nem assado; que tem que fazer isso e aquilo; talvez você esteja pensando em me dar os pêsames ou me dizer que sou louca ou, quem sabe, queira desejar sorte.  

Faltando tão pouco tempo quero partilhar que tomo esse passo decidida e consciente da escolha que faço.

Os preparativos cansam sim, são muitos detalhes, e nós noivas não sobreviveríamos sem nossas fadas madrinhas. Mas a recompensa é grande e a espera, doce. Serão duas famílias de duas pessoas completamente diferentes, com pouca coisa em comum que caminharão juntas a um mesmo objetivo, para serem fundidas indissoluvelmente por algo que é maior que todos nós ,unidas por Alguém que não cabe em nenhuma explicação. Em alguns dias, eu sairei de uma igreja com um novo nome e uma nova família, e uma nova casa e novos sonhos – só posso desejar que um dia você tenha  a mesma alegria que eu, querido leitor (ou leitora!).

A vocês, que porventura me acompanharam até aqui nesta série de textos, eu só posso agradecer e dizer que vale a pena. Eu ainda não cheguei lá, mas estou muito perto. Eu sou apenas mais uma noiva, ansiosa, atarefada, cansada, mas com o coração transbordando de carinho e alegria por algo que sonhei há tanto. 

No mais, peço perdão pela falta de conteúdo informativo; eu não sei muito bem o que dizer, afinal de contas esse será o meu primeiro (e único) casamento! 



Juliana Benevides
Professora de Inglês / Oficina de Valores

0 comentários:

Postar um comentário