Maria, através de seu sim, nos dá um exemplo de fé e de confiança nos projetos de Deus, enquanto nós muitas vezes não somos capazes de dizer esse sim por não acreditarmos que Ele tem o melhor para nós.
O sim de Maria foi a sua declaração de amor a Deus: “Eis, aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a Tua Vontade” (Lc 1,38), esse com certeza foi o segredo do sim de Maria: um amor que a faz desprender-se de si mesma para servir a Deus e aos outros.
A partir do nosso sim “inicial” vem os pedidos de Deus, nos quais Ele nos confiará Seus projetos, como com Maria, Deus irá através de nossos sins nos confiar Suas obras, a partir das quais outros sins deverão ser dados tão importantes como o primeiro. Maria foi fiel ao chamado e contribuiu no cumprimento das Escrituras e das promessas de Deus.
Maria seguiu plenamente os planos de Jesus e foi fiel às exigências feitas pelos Seus ensinamentos, o que nos faz pensar na qualidade do nosso sim a Deus. Maria foi capaz de perder tudo por Jesus, o que nos leva a refletir em quantas vezes nós somos tentados a abandonar Jesus por nossos caprichos, nossas vontades mesquinhas e escolhas medíocres.
Maria nos ensina que a plenitude da liberdade está na resposta positiva que damos a Cristo, de modo que a cada vez que O negamos nos tornamos escravos do pecado.
Na consagração de Maria a Deus fica claro que quando alguém se consagra a Ele, a iniciativa não parte de nós, mas parte de Deus, que chama individualmente e dá a liberdade para aceitá-lo ou não. O consagrado a Deus possui duas características: a disponibilidade e a gratuidade. A primeira diz respeito a aceitação da vontade divina sem jamais recuar, independente do que acontecer e até mesmo sem compreender as exigências divinas. A segunda compreende não pedir nada em troca dos serviços feitos e ainda ser agradecido a Deus por seu imenso amor.
O sim de Maria evangeliza, ou seja, causa conversão a Deus. Ela compartilhava Cristo com todas as pessoas e era testemunha Dele.
Nas Bodas de Caná, Maria demonstra fé em Jesus e ao lhe apresentar a falta de vinho, é interrogada por Ele a respeito da Sua hora. A resposta de Maria O faz se revelar: “Fazei tudo o que Ele vos disser” (João 2, 5). Maria reconhece que Jesus pode tudo e, com essa resposta, Jesus não pode mais se esconder. Precisamos imitar Maria, para que nossas respostas também revelem Cristo aos outros. Pois onde Ele se revela maravilhas acontecem.
O chamado de Deus é individual e Ele conta com o nosso sim, mas antes de dizê-lo Maria pensou e se questionou: “Como se fará isso?” (Lc 1, 34), assim ela  reconhece que não era capaz de gerar um filho por não ser casada. Mais uma vez precisamos imitá-la, pois muitos de nossos sins a Deus são superficiais, só ficam nos nossos lábios. Precisamos estar cientes das respostas que damos a Deus.
Se dissermos o nosso sim, Deus fará a parte Dele, pois Ele confiou muitas missões a Maria e na mesma medida cuidou dela, assim como faz e fará conosco.
Um último aprendizado a ser destacado é o da repercussão do sim de Maria em sua própria vida e nas dos outros. Após o seu sim Maria glorificou a Deus com o cântico Magnificat (cf. Lc 1, 46-55) encontrando nele um motivo para festejar,  ao contrário de nós que após encontrá-Lo e aceitá-Lo reclamamos por renunciar a algo.            Porém, Deus fez maravilhas em Maria e através dela, da mesma maneira que quer fazer em nós e através de nós. Deus só quer ouvir o seu sim.

(Acesse o audio com a pregação completa clicando aqui)

Juliana Correia
Pedagoga - Oficina de Valores

0 comentários:

Postar um comentário