A visão que temos de Adão e Eva no paraíso demonstra que o homem possuía um total contato com Deus e uma extrema intimidade com Ele, mas aconteceram algumas coisas dentro do Paraíso que impediram que o relacionamento continuasse da mesma forma que estava. E então o que aconteceu no relacionamento entre Deus e Homem para que acontecesse esse afastamento? Nesse caso, foi a má opção do homem ao escolher ser o seu próprio Deus, determinando para si o que era Bem e o que era Mal. Quando o homem e a mulher passaram a fazer isso, deixaram aquele relacionamento autêntico e mágico acabar, tendo como sequela uma felicidade disfarçada a que damos o nome de Infelicidade Pecaminosa. Isso porque quando nos tornamos o deus de nós mesmos, Aquele que nos traz felicidade verdadeira não pode reinar.
Então vemos que o livro do Gênesis  nos fala que, conhecendo o modo de vida de Adão e Eva, podemos olhar para a nossa realidade e nos perguntar o seguinte: o que vem nos tirar daquilo que nos traz a felicidade verdadeira? É semelhante ao acontecimento no Jardim do Éden, a desobediência do homem o afasta de viver uma vida em que suas necessidades de amor são supridas. Abusando da sua liberdade, deixamos de lado aquele contato de alegria completa na presença de Deus que esteve - e está - sempre à disposição para nos doar sua amizade de forma total. Com isso, conseguimos ver que quem é o responsável pelo estado em que estamos hoje é aquela pessoa que não queríamos ser, que é o EU. Ele escolhe, muitas das vezes, a opção de se alimentar de certos lixos que a vida oferece e se acomoda com coisas que na verdade não saciam a nossa alma de forma verdadeira.
Então ficam aquelas perguntas, que são: E aí? Será que ainda existe um caminho de volta? E se existe, quais as medidas preciso tomar para voltar ao verdadeiro relacionamento completo com Deus? Para a nossa felicidade, ainda existe um caminho de volta e uma das formas de voltar ao caminho é através da escuta das Exigências do nosso próprio coração, ou seja, o nosso coração apresenta alguns pedidos de Infinitude de Amor, de Paz, de Alegria, justiça que dão a impressão de que, neste mundo, nada pode corresponder e só um ser infinito pode dar aquilo de que precisamos de verdade. E esse é o próprio Deus de Amor. Ele nunca deixará de corresponder ao pedido do nosso coração, basta O querermos de verdade.

(Acesse o audio com a pregação completa clicando aqui)

Diego Macedo
Universitário - Oficina de Valores

2 comentários:

M.Levi disse...

Texto muito bacana!! Vale a pena tirar alguns minutos pra dedicar a leitura!!!

Joyce disse...

ótimo!!!
escutemos as exigencias dos nossos corações...!

Postar um comentário