Por: Juliana


Quantas vezes somos massacrados pela necessidade de ter que fazer alguma coisa enquanto nossa vontade grita desesperadamente por outra?

Eu poderia citar qualquer outro exemplo, mas esse do título é um que me é bastante caro. Gosto de ler, mas há livros que, por mais que você saiba que são bons, que vão te dar um lindo nome na lista dos livros lidos no ano, que vão aumentar seu prestígio entre colegas e admiradores .... não descem.

Sabe aquela sensação de ter que assistir àquela aula inútil daquele professor que só cobra presença? Então...

Livros me assombram.... não consigo NÃO terminar de ler, é uma tortura-voluntária. Como voltar com ele pra prateleira estando incompleto? Parece que ele voltará e me sufocará com suas muitas folhas no meio do sono. Eu escolho me arrastar, chorar, me empurrar por entre suas páginas tolas até o fim, porque no fim.... ah, no fim, ele não terá mais folhas pra me assombrar.

Metáforas também são ótimas e é em cima dessa do livro inacabado que gostaríamos de propor uma reflexão no dia de hoje: 

Eu tenho um planejamento de aulas pra fazer (nas minhas férias, diga-se de passagem) que vai me poupar muito trabalho quando as aulas começarem, mas eu escolho fazer QUALQUER outra coisa ao invés de começar a fazer isso. Capaz até de começar a planejar uma possível lista de Natal pra daqui a 6 meses do que começar algo que precisarei na próxima semana... Procrastinação, conhece?

Você com certeza tem a sua, e ela certamente te assombra quando você se distrai. Mas a lição de hoje é: todo livro tem um final e por mais que seja pra você ficar indignado, com raiva ou até mesmo surpreso com aquela história que te sugou e espreitou da sua mesa de cabeceira, o sentimento de dever cumprido é tão melhor do que o de desistência que te faz esquecer das dores e mal esperar pra começar o próximo.

O lema da vida deveria ser “pouco, mas bem”, é uma lição difícil de se aprender, mas que mesmo dando um mundo de trabalho, só tem a nos beneficiar.

As férias, pra muitos aí, estão em sua última semana, em algumas exceções ainda vão começar, mas tenho certeza que aquele livro inacabado te espera empoeirado na estante, e, como um conselho daqueles que são bons, mas que ninguém quer, vai este: troque aquele episódio daquela série repetida pela 5ª vez na hora do almoço por 10 minutos de leitura, vai? O sentimento de avanço toma conta em algum momento e você acaba vencendo a preguiça. 

É como ter que terminar de ler um livro ruim... mas, em algum momento, terminamos.

Juliana Benevides
Formada em Letras - UFJF / Oficina de Valores

0 comentários:

Postar um comentário