Por: Mariana


“Falar sem aspas, amar sem interrogação, sonhar com reticências, viver e ponto final.”
- Charles Chaplin

O que essa frase tem a ver com o texto? Nada, eu acho que não. (, é uma das minhas frases favoritas, ela tinha que aparecer em algum lugar do texto).
Mas a frase acabou sendo útil, pois o fato é que eu nunca fui boa com introduções, sempre tive pressa de chegar no desenvolvimento das coisas, na “parte boa”. É tipo aquele livro que começa chato, mas no meio fica superinteressante e você não sabe mais como vai viver quando o livro acabar, sabe?

Talvez por isso eu sempre coloque algumas músicas direto no refrão, sempre coloque um vídeo grande no youtube perto da metade... Resumindo essa introdução meio torta, o lance é que paciência não é uma das minhas virtudes.  Nunca foi meu forte, nunca! Talvez alguém que me conheça pouco, lendo esse texto, vá pensar: “O que essa menina falando? Ela é tão quietinha, duvido que não tenha o pavio longo...”. A vocês eu digo: o fato é que eu sou uma pessoa tímida, MUITO TÍMIDA, então poucas vezes você vai me ver estressada (leia-se “demonstrando meu estresse”).

Enfim, eu sempre leio o fim das histórias antes delas se resolverem, sempre que assisto a um vídeo longo, passo a setinha em cima daquela paradinha que carrega o vídeo pra saber o que vai acontecer, leio revistas de trás pra frente, vejo as respostas das palavras cruzadas na última página e, é claro, o ápice da minha falta de paciência, que se mistura, às vezes, com minha ansiedade pra tudo é: esperar... Esperar o ônibus (LOTADO) que, diga-se de passagem, é uma das frustrações da minha vida, esperar minha mãe no mercado, esperar por horas na fila do banco, esperar resultado de prova, esperar uma resposta no whatsapp, esperar um milagre... Resumindo, não sei esperar.

Segundo nosso querido dicionário, paciência é “uma característica de manter um controle emocional equilibrado, sem perder a calma, ao longo do tempo. É a capacidade de suportar incômodos e dificuldades de toda ordem, de qualquer hora ou em qualquer lugar. É a capacidade de persistir em uma atividade difícil, mantendo uma ação tranquila e acreditando que irá conseguir o que quer, de ser perseverante, de esperar o momento certo para certas atitudes, de aguardar em paz a compreensão que ainda não se tenha obtido. A paciência também é uma caridade quando praticada nos relacionamentos interpessoais”.
Ou seja, paciência consiste basicamente na tolerância a erros ou fatos indesejados, ter capacidade de ouvir alguém, com calma, com atenção e sem pressa, ter capacidade de se libertar da ansiedade. Então, a tolerância e a paciência andam juntas, são fontes de apoio seguro nos quais podemos confiar. Ser paciente é ser educado, ser mais humano e saber agir com calma e tolerância.

“Inspira flor e assopra vela!” Coisa mais besta ?! Porém, uma coisa que eu me esqueci de falar é que eu já fiz yoga nessa minha vida e isso era uma das frases clichês e zens que a professora usava. Eu achava uma frase tosca, mas parando para pensar, é uma frase legal, vai!  E no fundo, ela faz sentido. A gente tem que aprender a respirar fundo, parar de querer fazer tudo ao mesmo tempo, conquistar pessoas a toda hora, resolver nossos problemas, resolver problemas dos outros, reclamar da vida, reclamar dos outros e... esquecemos de respirar.

“O que é seu tá guardado”, “o que tiver que ser será”, “fica calmo, tudo tem seu tempo”. Frases como essas para uma pessoa sem paciência são tipo... Argh!! Mas deixem-me dizer uma coisa: ultimamente, essa falta de paciência com as pessoas, com a vida, tem me preocupado.

Falta de paciência em casa, com seus pais e irmãos, no trânsito, com aquele velhinho na sua frente na fila, com sua avó que não escuta o que você está dizendo, aquela raiva quando alguém não entende o que você está falando e você tem que repetir.
Quantas vezes a gente vê na televisão, na internet, coisas horríveis, até mortes por motivos bobos como esses?! Sim, tem gente capaz disso! Imagine, um trânsito daqueles, hora do rush, tudo parado e alguém bate no seu carro. Você tem uma arma no carro, já está tão impaciente ali e olha o que fizeram com você. De repente, BANG! Olha o que você acaba fazendo sem pensar.

A falta de paciência é sim muito perigosa, a gente acaba fazendo algumas coisas por impulso por não saber esperar e acaba se arrependendo depois. Ser impaciente acaba levando por caminhos sem volta, faz criar uma bola de neve por não saber resolver um problema de cada vez.

Eu tento não ser uma pessoa acomodada, afinal de contas, se a gente fica parado esperando as coisas caírem do céu, é claro que a gente pode esperar sentado, que nada vai acontecer, ? Então a solução, teoricamente básica, é essa: ter atitude! É claro que tem que saber o limite entre ter atitude e ser impulsivo, afinal entre a impulsividade e a atitude “a linha é tênue, meu bem” (Um salve pra Gadú!).

O lance é o seguinte, pra tudo na vida há uma solução, toda fase passa, se você pede, você recebe; se você vai atrás, você acha. Desculpem-me os impacientes, mas “O QUE É SEU TÁ GUARDADO” sim, pode acreditar!

Se você teve paciência para ler esse texto, obrigada! Se você está lendo essa parte aqui e não leu o miolo do texto, eu te entendo, juro, mas faz um esforço, dá uma lida. Uma frase que eu escutei uma vez (me desculpem por não lembrar onde) e tenho tido como uma motivação toda manhã quando eu acordo é: “O que vale a pena possuir, vale a pena esperar.” E essa frase é pra todos os aspectos da vida, saber esperar. O diploma da faculdade, um amor, uma promoção no trabalho, oportunidades... Se valer a pena, espere!!!

“Mas que menina chata, não vai terminar o texto nunca?” Haja paciência...


Mariana Freitas
Estudante de Letras

0 comentários:

Postar um comentário