Por: Fernando

De maneira objetiva e sem rodeios, se eu fosse explicar as melhorias que a Oficina de Valores proporcionou na minha vida, eu teria que deixar junto com esse texto alguns outros links desse blog. Teria que linkar com alguns textos que explicassem: O que é a Oficina de Valores? Para que foi criada? O que ela representa? O que tem realizado atualmente? Coisas assim que, uma vez que você supusesse que a Oficina seja muito importante na minha vida e, se eu a pratico de fato, então seria mais fácil imaginar se a Oficina me tornou uma pessoa melhor, ou não, sabendo de antemão o que a Oficina é.

Mas desconfio que quem lê esse texto, tenha uma ideia do que seja a Oficina. E é partindo dessa desconfiança que vou tentar encontrar as razões pelas quais, acredito, a Oficina tenha me tornado uma pessoa melhor. Mas antes, caso você não tenha a mínima noção do que seja esse grupo, ótima oportunidade para um convite: aproveite a dúvida e dê uma passeada pelo  blog e conheça um pouco a Oficina de Valores.

 
Então eu faço parte da Oficina de Valores! O que isso significa para minha vida?

Eu nunca fiz nenhuma pesquisa sobre essa nossa necessidade de viver em grupos, turmas, tribos... As considerações que faço agora, portanto, faço por ousadia, sem me preocupar com análises que possam contradizer o que eu digo. Mas sobre essa nossa vontade de se enturmar em um grupo, imagino que a gente seja motivado por algumas características, um tanto até básicas: afinidades, apoio mútuo, diferenças para com a maioria  e construção da nossa identidade.

Num primeiro momento, penso nessas características quando penso minha relação inicial com a Oficina de Valores: um grupo onde eu encontraria muitas pessoas com muitos interesses em comum; um grupo onde eu teria suporte e poderia contribuir de alguma forma; um grupo que proporcionaria aquela diferenciação por fazer parte de um círculo específico e, nesse processo, construir minha identidade.

Tem de tudo isso um pouco. Mas a Oficina  é essencialmente um grupo cristão. E pensar que a Oficina tenha se restringido somente a cumprir essas características é creditar muito pouco para um grupo que se denomina Oficina de Valores e muito pouco para as possibilidades de aprimoramento individual que um grupo cristão pode proporcionar. Sem contar que essas características não revelam nada sobre a pergunta que se tenta responder: em que me tornei melhor por causa da Oficina, ou depois de conhecer a Oficina?


Antes que você dispare o sinal de alerta " lá vem uma ladainha chata de 'olha como eu estou muito melhor hoje do que estava ontem'", saiba que eu tenho consciência de que pode passar uma certa soberba ficar apontando os atributos onde melhorei, os defeitos que perdi, onde eu me aprimorei, que fiquei melhor nisso e fiquei melhor naquilo.. Eu sei disso!


Mas também se demostra soberba quando não se consegue reconhecer, ou não se tem a capacidade de dar os devidos créditos quando você melhora em alguns aspectos com a ajuda dos outros. Além de não ser justo.

Então, com delicadeza para não passar soberba e, ao mesmo tempo, não querendo acabar sendo injusto por não ser agradecido, pensei num modo que me sinto mais confortável para resolver a tal pergunta que ainda não foi respondida: "quais melhorias a Oficina de Valores me proporcionou?"

A maneira que me é mais fácil é revelar isso através de agradecimentos:

- Por revelar que apesar das nossas limitações e fraquezas, sempre podemos mais, sempre tem algo de especial em cada um, que pode ser aproveitado;

- Por ensinar, sem querer ensinar, mas passar mostrando ao longo do convívio, que a gente ganha muito, na medida em que se doa muito;

- Por realizar - com muito engajamento e entusiasmo - projetos, atividades e eventos cuja finalidade é apresentar o Cristianismo para as pessoas e resgatar muitos de uma vida sem sentido.

- Por mostrar através do exemplo, que religião é algo que se pratica. Que ela é eficaz na prática e que assim começa a fazer sentido;

- Por ensinar a importância do olhar mais caridoso e descobrir a importância do perdão;

- Por fazer com que eu sinta no coração que, cada vez que abro a Bíblia e começo a lê-la, abro um caminho de diálogo com Deus;

- Por mostrar o quanto é possível e desejável a santidade. E que essa não apenas nos deixa felizes em alguns momentos, mas  nos faz felizes por ter uma vida que vale a pena viver, porque temos algo pelo que vale a pena morrer.

......

 Por todas essas coisas, meu agradecimento a Oficina de Valores! 

 Meu muito obrigado a todos que fazem parte dela! A todos que virão a fazer parte, meu muito obrigado antecipado! Eu sei o quanto vocês ajudarão muito! 

 A certeza que tenho de que a Oficina vem se consolidando e que todos que fazem parte importam muito, é que não consigo direcionar meu agradecimento a uma ou duas pessoas, mas a todas as pessoas que participam. 

 Muito Obrigado.


Fernando Duarte Rosenkranz
Professor de História / Oficina de Valores

0 comentários:

Postar um comentário