Por: Natan



“A vida é o dever que nós levamos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.”

Mario Quintana foi muito feliz nesse poema. É impressionante como o tempo passa rápido.  Se não o aproveitamos da melhor maneira possível, perdemos a nossa vida por nada.
 
Na língua grega existem pelo menos três palavras para designar o tempo: Aíon, Kairós e Kronos. O terceiro é medido pelos segundos, minutos e horas e é o mais perverso, pois cada um tem sua fatia e ninguém sabe ao certo sua porção. Ninguém é capaz de saber quando será seu último dia, então, cada dia a mais que temos na realidade é um dia a menos. Pare para pensar! Com o que você tem gastado o seu tempo? Pelo o que você tem vivido?  
 
E foi mais ou menos assim que, 5 anos atrás, eu encontrei a obra OFICINA DE VALORES. Deus quis escolher essa obra para me mostrar com muita paciência e carinho que é preciso saber viver, pois viver de qualquer maneira, sem ideal, sem meta, sem sentido de vida, é perda de tempo, e o relógio da vida não para.  Meu primeiro encontro com eles foi através do retiro de carnaval... e que retiro! Com certeza, uma das melhores escolhas que fiz na minha vida.  
 
Em 2010, eu já havia encontrado Aquele que mudou o meu caminho, mas nessa obra conheci pessoas que fizeram com que o trajeto ficasse mais bonito e muito mais divertido.  O trabalho da Oficina é encantador e me cativa cada dia mais. São jovens de todas as idades que se dedicam por fazer não só a própria vida, mas a do próximo a valer a pena. Vamos às escolas, realizamos retiros de carnaval, retiros para estudante e universitários. Damos a nossa vida por isso. Aliás, esse é o nosso lema: “Só vale a pena viver pelo que vale a pena morrer!”
 
Hoje eu faço parte dessa história e não me arrependo de nenhum passo que dei ao lado dessas pessoas. Pelo contrário, só tenho a agradecer. Queria deixar aqui através deste breve testemunho meu muito obrigado à Oficina, por ter restaurado em mim valores que haviam se perdido, por cumprir a sua missão de consertar valores que a sociedade tem distorcido, e a todos os membros que não deixam a engrenagem da Oficina parar e que por muitas vezes, com palavras, exemplos e atitudes, foram luz no meu caminho.

Natan Soares
Professor de Educação Física / Oficina de Valores

0 comentários:

Postar um comentário