"Meu nome é Murilo, tenho 23 anos e é com grande alegria que escrevo este breve relato acerca das experiências que eu vivi nesse último feriado no Retiro de Universitários da Oficina de Valores.

Fui surpreendido logo no começo com a proposta, que foi olhar para dentro de nós mesmos, um verdadeiro itinerário interior. E isso não foi tudo. Fomos guiados pela espiritualidade impactante de Santo Agostinho, um gigante da fé e uma das figuras mais conhecidas da Igreja.

Procurando ser fiel àquela proposta, eu quis ser o mais sincero possível, aceitando o desafio de me despir de todo conceito que tinha de mim mesmo para de fato me enxergar como verdadeiramente sou. Foi desconcertante e incômodo, pois não é fácil olhar para si mesmo com honestidade. É muito bom quando me deparo com as minhas qualidades e sou reconhecido por aquilo que tenho de melhor. Mas quando a luz de Deus brilhou e revelou aquilo que estava escondido na penumbra do coração, percebi que eu não era tão bom quanto julgava ser e há muitas questões não resolvidas do passado. Isso me causou muita dor e vergonha, não foi agradável. O que me consola é saber que em tudo o Senhor tem um propósito e que é impossível ser curado sem antes limpar as feridas, sendo este um processo doloroso e às vezes sofrido, mas aprendi em uma dinâmica que o sofrimento tem o seu valor.

Eu me senti provocado a uma mudança interior com esse retiro, a fazer uma faxina interna, jogar fora tudo aquilo que é ruim e não ser mais aquele senhor cruel de mim mesmo, como o Alessandro disse em sua palestra. O desejo de felicidade e de realização em mim é agora urgente e devo agir como se tudo dependesse de mim e orar como se tudo dependesse de Deus.

Descobri ainda uma coisa muito interessante no mergulho dentro de mim mesmo que partilhei com meu grupo (dá-lhe laranjaaaaa) que gostaria de partilhar com todos vocês: muitas das minhas angústias até o presente momento foram causadas pela incapacidade que eu tinha de ordenar os meus amores e também de ordenar os meus dias. O fato de em um retiro termos horário para tudo me trouxe muita paz, essa disposição do tempo faz um bem enorme para alma.

Fiquei muito feliz pela experiência vivida que com certeza acrescentou e acrescentará muitas coisas boas na minha caminhada e queria me despedir agradecendo de modo particular a todos que tornaram possível esse retiro. Muito obrigado e a gente se vê!""


Murilo Heinrichs
Estudante de Física - UFF
Participante do Retiro de Universitários 2015
________________

"Nunca fui tão boa escrevendo quanto sou falando, mas tento meu melhor e sempre faço com muito carinho. E assim, escrever sobre o retiro de universitários de 2015 é uma honra e um desafio.

Desde as primeiras horas, esse ano tem sido um desafio pra mim. Acredito que me encontro em uma daquelas fases da vida em que temos a sensação de não sabermos absolutamente nada. Venho questionando tudo em meu interior e ao meu redor, sem ser capaz de encontrar respostas confiáveis e satisfatórias.

Em meio a tudo isso e exatamente em um momento de muita ansiedade, eis que me surge Alessandro me fazendo convite, faltando apenas uma semana para o retiro. No exato momento, eu tive certeza de que era a luz que tanto vinha pedindo a Deus. Eu não estava errada.

Este retiro foi um caminho pra tantas respostas que poderia passar dias escrevendo sobre (fiquem tranquilos porque não vou). A escolha do tema, Santo Agostinho de Hipona, trazendo consigo a figura materna de Santa Mônica, fez das reflexões ao longo do retiro algo muito palpável ao nos mostrar pessoas tão humanas e falhas quanto nós, que souberam encontrar na fé compreensão de seus enigmas e preenchimento de seus abismos. Mostrar que por mais tarde que venhamos a verdadeiramente encontrar Deus, uma vez perto, ansiamos mais e mais por Ele.

Cada uma das pregações me remeteu a alguma de minhas angústias e senti-las sendo finalmente entendidas foi como se todos os pesos que carregava estivessem sendo retirados, um a um. Especialmente quando as partilhas fizeram encontrar um grupo de carinho e acolhimento que trouxe segurança para enfim poder externalizar tanto que havia guardado em mim.

Assim como Santo Agostinho, pude enfim perceber que Deus estava tão dentro e eu tão fora. Uma vez entendendo isso, encontrei não só a Deus, mas a mim mesma novamente. A experiência de deserto, juntamente com o caderno onde escrevemos nossas próprias Confissões, trouxe de nosso mais íntimo aquilo que estava guardado já havia tanto tempo que nem parávamos mais pra pensar. Lembrar de nosso passado é um exercício de ver o amor de Deus em nossa caminhada, ainda que falhemos tantas vezes.

Santo Agostinho se mostrou um grande homem, um grande sábio e um grande exemplo da força do amor de Deus. Cada uma de suas palavras que conheci durante o retiro foi como se alguém estivesse traduzindo tudo o que meu coração queria dizer. Santa Mônica foi, por sua vez, uma fonte de inspiração tremenda, como perseverante e confiante na graça de Deus. É impossível não se impressionar com sua sensibilidade e fé, tampouco com seu enorme amor de mãe, que nos convidou a uma emocionante e profunda aproximação também com nossa mãe, tanto a que Deus nos agraciou na terra, quanto nossa amada Mãe do Céu. Sendo, pra mim, um momento tão especial e profundo que nem eu mesma sabia o quanto precisava.

Nada me tocou tanto quanto enfim notar o Cristo que passa sem que eu perceba. Enxergar posturas do dia a dia que tem me cegado de praticar o amor como Deus nos ensina foi algo marcante como poucas experiências já vividas. Tanto que é difícil passar pra palavras.

Acredito que o retiro cumpriu seu propósito, sendo, especialmente pra mim, muito mais do que poderia imaginar. Resta a mim agradecer a Deus e rezar para que isso seja somente um passo firme, da longa caminhada, e que possamos todos, agora de volta no dia a dia, não somente praticar o exercício que nos leva “Do exterior para o interior. Do interior para o Superior”, mas também exteriorizar o que o nosso interior recebeu do Superior, pra que outros venham a conhecer esse tão grande amor."

Gabriela Sardella
Estudante de Ciências Biológicas - Biotecnologia - UFRJ
Participante do Retiro de Universitários 2015



0 comentários:

Postar um comentário