Sexta à noite, conversava com um amigo no whatsapp sobre o que levar para o retiro, ambos arrumando as malas. Conversa vai, conversa vem, perguntei a ele se estava animado. Dada sua resposta, eis que me fez a mesma pergunta. Lembro de ter respondido: - Eu na verdade estou sob pressão, e só pedi pra Jesus me surpreender... Ele disse: - “Vixi, Ele surpreende mesmo hehe”. 

E no sábado de manhã lá estava eu, no Sítio São José do Oriente. Querem saber a verdade? Diante daquele portão, eu desafiei Jesus (sim, fiz essa loucura!). Por que o fiz? Pelo simples fato de achar que seria apenas "mais um encontro", e que diante da minha vivência na Igreja, já podia imaginar a temática dele. Então Deus já me deu uma rasteira logo quando ouvi o tema e a música que me acompanhariam naqueles 5 dias. "Mestre onde moras? Vinde e vede!". O que aconteceu depois disso? O Senhor me fez sair do meu comodismo e ir ao encontro Dele. Despertou em mim a vontade de voltar ao primeiro amor, a profunda intimidade. E a expectativa do reencontro fez meu coração desejar ardentemente estar com Jesus. O início da música tema diz: "Te conhecia Senhor, somente em palavras, mas hoje meus olhos te viram, e em cada passo comigo estás..." Essa mesma música é uma das trilhas sonoras da minha vida, pois ela diz tudo o que já vivenciei e experimentei estando unida a Jesus. 

Eu vi o Senhor!!! Jesus estava comigo em cada passo nesse retiro... Ele estava disfarçado, minha gente! Deu-me de comer, fez palestras, cantou, conduziu animações e orações, cuidou e zelou por mim, em meio a uma crise de sinusite, e tantos outros pequenos gestos de profundo amor. Se valeu a pena ter ido e desafiado Jesus? Sim, valeu a vida! Pois tive o reencontro mais lindo, com Ele nos outros, tanto na equipe, quanto nos amigos que lá estavam e nos novos que tive a graça de conhecer e conviver, revelando- Se no simples e singelo. Confirmou meu chamado e minha vocação e que o melhor lugar para se estar é aos pés Dele. 

Compartilho uma frase ouvi nesses dias maravilhosos e que ficou e ainda está matutando na mente e coração, me fazendo refletir no quanto de tempo eu ainda tenho, visto que já perdi tempo demais fugindo, ou simplesmente fazendo um caminho contrário, e o quanto tenho dado passos lentos em direção a vontade de Deus: " Você sofre as demoras de Deus, e Deus sofre as suas demoras." 

Que está frase possa te ajudar como tem me ajudado, que ecoe na sua mente e coração e te inquiete, a ponto de te fazer perguntar: - Mestre, onde moras? Jesus te estenderá a mão e dirá: - Vide e vede! Rezo para que você, independente de já ter tido uma experiência com Ele, ou se apenas O conhece por palavras, por aquilo que já disseram Dele, tenha a coragem de segurar Sua mão, caminhar com Ele, segui-Lo. Como toda certeza você será surpreendido. Afinal, nunca é tarde pra recomeçar.

Juliana Nunes
Participante do Retiro de Carnaval da Oficina 2016



“O que te fez vir para este retiro de carnaval esse ano?”. Uma pergunta simples, feita na primeira colocação do retiro e que para mim tinha uma resposta simples e direta: “Se não fosse, ia dar ruim!”. Aí, acho que o carinha lá de cima deve ter pensado: “Sabe de nada, Inocente!”. E realmente, eu não fazia ideia do que me aguardava naquele sítio. 

Confesso que pensei em desistir do retiro, ainda mais quando na sexta-feira à noite recebi uma ligação para tocar em um mini show em uma cidade próxima. Mas decidi ir para o sítio (e não me arrependo nem um pouco desta decisão). Eu, que já participei de vários outros encontros da Igreja, pensei para mim: “bom, vai ser mais um retiro, vou ouvir as mesmas coisas de sempre. Vou passar aqui um carnaval longe de bagunça, e depois vamos voltar à rotina”. Mal sabia eu que a volta que eu iria fazer não seria simplesmente à rotina, mas sim a uma rotina com Deus. 

Depois ainda daquela primeira colocação, decidi me lançar totalmente à proposta que o retiro me proporcionaria, e assim foi. A partir daquele momento, parecia que cada momento fazia sentido como nunca para mim. Uma dinâmica, que já havia passado inúmeras vezes, com o propósito de abandonar mágoas, vícios, apegos, fazia com que eu sentisse um alívio, uma paz interior como nunca havia sentido antes. Sem falar na colocação do Júlio (fundador da Oficina, conhecido também como o ícone “Martinho da Vivian”), que naquela suavidade no falar, as palavras vinham como socos de direita de um lutador profissional, como se Deus falasse pra mim “ACORDA!! VOLTA PRA CASA!!!”. E assim foi, como o filho pródigo, que decidiu largar seu lar, usufruir dos prazeres mundanos e ao voltar para casa foi recebido com festa. Aconteceu comigo que ao voltar, confesso que com muita vergonha, fui recebido com festa. 

Obrigado a cada um que esteve lá naqueles cinco dias de carnaval, por cada momento, cada partilha, cada sorriso, cada lágrima e pelas novas amizades que nasceram lá, e que com certeza não vão ficar apenas no sítio. O que seria para mim mais um retiro religioso, tornou-se a minha experiência mais íntima com Deus. 

José Otávio
Participante do Retiro de Carnaval da Oficina 2016

0 comentários:

Postar um comentário