Por: Maythe

Linda
Do jeito que é
Da cabeça ao pé
Do jeitinho que for
É, e só de pensar
Sei que já vou estar
Morrendo de amor

Coisa linda
Vou pra onde você está
Não precisa nem chamar

Se a beleza mora no olhar
No meu você chegou e resolveu ficar
Pra fazer teu lar"
(Trecho da música Coisa Linda, Tiago Iorc)

Provavelmente você, assim como eu, já ouviu essa música. Mas foi na noite dessa última terça-feira que resolvi, a princípio de forma inconsciente, cantá-la de uma forma mais real. Percebi, na última noite do Retiro (depois da adoração, de todas as palestras, de todas as dinâmicas, de todos os momentos), que uma música não precisa ser só uma música e fiz dela um agradecimento. Ela reforçou sem a menor intenção o que eu entendi desde o primeiro dia naquele sítio maravilhoso: a beleza e a simplicidade de Maria.

Como o tema do retiro era essa Santa que nos serve de exemplo para todas as situações, tudo foi falado levando em conta o olhar da Mãe de Deus. Eu nunca entendi completamente essa devoção  tão grande da Igreja a uma mulher, me pergunto como fui tão cega por tanto tempo. O motivo é simples: foi Ela que disse sim e confiou completamente em Deus, onde por ação do Espirito Santo o Filho de Deus se fez carne, assim como você e eu, para nos livrar de todo o mal.  

Eu não sei explicar muito bem como e quando percebi isso, só sei que um sentimento maior que meu peito já se fazia presente desde sábado. Durante o terço luminoso consegui ver a força que a oração à Maria tem, fui preenchida por um sentimento que não sou capaz de descrever.

Quando passamos pelas Dores de Maria percebi ainda mais o quão grandiosa é essa Mãe, que até no sofrimento nos conforta e se faz presente. E assim me mostrou que para algo de bom ressuscitar é necessária a morte. Para haver confiança é necessário matar o medo dentro de cada um de nós. Mais uma vez fui inundada por sentimentos que transbordaram pelos olhos durante toda a vivência das dores. 

O fato é que Ela me ensinou por meio desse retiro de carnaval, que aliás foi o meu primeiro, que devemos sempre buscar seguir seu exemplo, e que em qualquer situação ela estará conosco mesmo que nós não estejamos com ela: uma mãe não abandona o filho. 

Agradeço a Oficina por me mostrar isso com tanta clareza, por me dar a chance de me aproximar desse amor materno infinito. Agradeço pelo meu time me dizer tanto nas partilhas e por terem vivido comigo cada momento desses 5 dias. Agradeço a Deus por me dizer que teria algo de diferente nesse retiro e por me levar até o Sítio São José do Oriente mais uma vez pra uma experiência maravilhosa. Agradeço a Maria por me carregar nos braços em todos os momentos, por me dar colo quando preciso e por isso ser o meu exemplo. 

Mãe, hoje te digo de todo meu coração: vou pra onde você está, não precisa nem chamar. Se a beleza mora no olhar, no meu você chegou e resolveu ficar pra fazer teu lar.



Maythe Pury
Estudante
Participante do Retiro de Carnaval 2017 / Bloco Roxo

0 comentários:

Postar um comentário